PM e Civil, fazem reunião com vereadores e levam sugestões para a segurança

PM e Civil, fazem reunião com vereadores e levam sugestões para a segurança

O Conselho Comunitário de Segurança Pública (CONSEG), juntamente ao comandante da Polícia Militar, o Delegado e Diretores de Escolas da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste, se reuniram com os Vereadores nesta sexta-feira (17) no salão anexo da Câmara, para solicitar ajuda e apresentar sugestões para a segurança da cidade.

A reunião foi longa, dinâmica e muito proveitosa, conforme requerentes e os vereadores que compareceram, dos nove, o único que não esteve presente foi o vereador Serginho Castilho (PRP), não foi apresentado o motivo de sua ausência.

O motivo que levou o presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública (CONSEG) o empresário, Valdir Teixeira, a pedir esta reunião não foi tão somente pelo Vídeo-Monitoramento da cidade que vem pleiteando a mais de 2 anos, mas também pela segurança de um modo geral, por isso se fizeram presente o comandante da Polícia Militar o Delegado e Diretores de Escolas que se veem ameaças pelo trânsito na entrada e saídas de seus alunos, o mais importante que não vieram só pedir, trouxeram sugestões de soluções para os problemas, e quem sabe poderão ser úteis e usadas para ajudar na resolução a curto prazo, só depende do bem querer político.

Precariedade:
Primeiro colocaram em evidência as precariedade da segurança, o mais grave é a falta de efetivo de policiais Civis e Militares, que deveria de forma aceitável “não o ideal” de 1 policial para 300 habitantes, o nosso município que tem cerca de 45 mil, seria necessário o mínimo de 150 policiais para melhor garantir a segurança.

A falta de viaturas vem em seguida, “as que temos não suprem as necessidades do município”, diante isso, não precisamos ficar procurando mais motivo para justificar a fraca segurança, ainda é visível e notório, que o poder bélico de nossas forças é muito inferior que a do crime organizado.

Mesmo com esta deficiência o delegado, Júlio Cesar de Souza, afirmou que os índices de criminalidade deste início de ano, caíram em relação à mesma data do ano passado e o que mais cresceu foi o crime da violência domestica.


Problemas:
A falta de viaturas e a deficiência no contingente das policias Militares e Civis já é o bastante para comprometer a segurança, por estas causas é impossível citar a quantidade de problemas que trás a população, mas foram citados aqueles que mais trazem traumas aos habitantes: 1º invasão a residência; 2º assaltos à mão armada ou sob ameaças de armas brancas em transeuntes e nos comércios em geral; 3º roubos nas saídas de banco ou sequestros relâmpagos; 4º trafico de drogas e entorpecentes que viabilizam centenas de usuários que perambulam pelas ruas, avenidas, praças e bosques, praticando constantes delitos; 6º crimes contra a mulher ou familiar, crime passional; 7º latrocínios, homicídios; e o que mais mata no Brasil, imprudências na direção e o desrespeito às sinalizações de trânsito, que entra em 8º lugar.

Estes são os mais corriqueiros, esses tipos de crimes acontecem diariamente e muitas vezes influenciados pela a falta de policiamento e a falta de ronda ostensiva nas ruas a pé ou de viaturas, estas deficiências já são o bastante para comprometer totalmente a segurança da cidade.


Sugestões:
O delegado Júlio Cesar defende a criação das Guardas Municipais ou Guardas Civis Municipais que foram reestruturadas a partir do dispositivo da Carta Magna – “Constituição Federal de 98 em seu artigo 144, § 8º , que faculta aos municípios criar Guardas Municipais, para proteção dos seus bens, serviços e instalações conforme dispõe a Lei complementar”, além de também ser um grande defensor do vídeo-monitoramento.

Conforme o Delegado, Guardas Municipais ou Guardas Civis Municipais, é um modelo internacional que deu certo no mundo, inclusive virou até séries americanas como: Departamento de Polícia de Chicago (Chicago P.D.) e de Nova Iorque (NYPD – New York City Police Department).

O comandante da Polícia Militar, Bruno Costa, é o maior entusiasta da instalação imediata da central do vídeo-monitoramento na cidade, conforme o Capitão, a instalação inibe vândalos e pequenos delinquentes cometerem delitos e os constantes abusos na direção, bem como os desrespeitos as Leis de trânsito, só pelo motivo de estarem sendo observados, “este aparato vai propiciar a polícia antecipar a ações de traficantes, coibir muitas ações de bandidos, facilitar na identificação de pessoas e de automóveis, além de auxiliar nas pistas de fugas com mais precisão e outros” finalizou.

CONSEG e os Diretores das Escolas presentes, além de carregarem as bandeiras das sugestões acima, ainda citam formas para amenizar o problema do trânsito em frente às escolas, principalmente na frente das Escolas, Joaquim de Lima Avelino e a Escola Cecília Meireles, ambas na Rua Juscelino Kubitscheck, a sugestão é tornar aquele perímetro em mão única nos horários de aulas ou permanente.

Conclusões:
Os Vereadores ouviram atentamente as precariedades, problemas e as sugestões, se comprometeram disponibilizar ações urgentes para reverter este quadro deplorável o mais breve possível, viabilizar estudos detalhados para cada situação, criar Leis e indicações direcionadas aos problemas.

O Comandante aproveitou o momento para passar como andam as arrecadações para a construção da central e do vídeo-monitoramento da cidade, projeção: Emenda Parlamentar 150 mil reais (Dep. Marcelino Tenório- PRP); ACIOP (Associação Comercial e Industrial de Ouro Preto) 30 mil reais; Sobras da Câmara Municipal – 33 mil reais; uma moto CG FAN doada pela Loja Maçônica Acácia, para venda, bingo ou sorteio no valor estimado de 9 mil reais; Loja Maçônica Estrela do Norte, doação de 10 mil reais; 25 mil reais cedido pelo Judiciário, ainda uma arrecadação de 12 novilhas com valor estimado a 14 mil reais, somando um total de 271 mil reais, em perspectivas; deste valor, o que realmente tem em caixa, são apenas 41 mil reais.

Ainda conforme o comandante Costa, para adiantar os trabalhos vai fazer por etapas, primeiro construir a central preparada para 10 câmeras com uma delas instalada em um ponto estratégico, por um custo de 176 mil reais, depois, enquanto for liberando dinheiro, vai sendo implantada as outras, até completar as 10 câmeras no valor total de 474 mil reais, quantidade que ele acha satisfatório.

Autor / Fonte: Gazeta Central

Leia Também

Comentários