Estupidez, Trevas e enquadrada

ESTUPIDEZ – O delegado e atual prefeito de Ariquemes, Tiago Flores (PMDB), conseguiu seus quinze minutos de fama em rede nacional nos principais telejornais da poderosa vênus prateada (Globo), além de outros veículos da grande mídia. Pena que o conteúdo das reportagens seja de fato que demonstra a intolerância de um agente público que, ao invés de zelar pelo patrimônio público, destrói. Foi o que fez o prefeito ao rasgar páginas de centenas de livros enviados pelo Ministério da Educação para a alfabetização das crianças do município. A estupidez lhe rendeu uma fama negativa.

LOROTA – Com a repercussão negativa ao ato insano de rasgar páginas de livros, a assessoria do prefeito de Ariquemes tentou tapear a opinião pública com a versão de que o prefeito apenas cumpriu uma lei municipal que proíbe nas aulas das séries infantis abordar a ideologia de gênero. Uma lorota porque o tema está incluso no Plano Nacional de Educação e os livros são utilizados em todo o território nacional. Portanto, uma leizinha municipal não revoga uma federal.

TREVAS - Na verdade o jovem alcaide Flores cedeu às velhas pressões políticas de uma bancada de vereadores evangélicos do município que nacionalmente demoniza qualquer discussão sobre o tema “ideologia de gênero’, embora nossa Suprema Corte reconheça relações familiares homoafetivas e criminaliza o preconceito de sexo. Flores que prometeu uma administração nova e renovadora revela com o ato truculento que é tão velho quanto os antecessores. Ademais, o estado é laico e as pessoas livres para as suas próprias escolhas. Rasgar livros, outrora, levou o país a um período ditatorial. Assim como pode levar a administração de Flores às trevas.

CASTOS – Ao contrário de muitos que não leram as páginas arrancadas dos livros do MEC pelo prefeito, mas aplaudem o ato truculento, este cabeça chata viu e leu cada mensagem das páginas arrancadas e não constatamos nada indecoroso. Tudo que ali está é possível qualquer criança assistir cotidianamente nas novelas, filmes, shows e demais manifestações artísticas que passam nas TVs ao vivo e a cores. Ademais, ensinar a criança a ser cidadão que respeita as escolhas dos semelhantes está compativel com o Plano Nacional de Educação. Os preconceitos se espraiam a partir dos primeiros ensinamentos e dissipam igualmente nas primeiras lições de vida. Na medida que cede ao preconceito dos vereadores “castos”, Flores perde a verve do novo anunciada na campanha e envelhece muito antes de começar a governar.

ENQUADRADA – Membros da direção nacional do PSDB tentam enquadrar a deputada federal Mariana Carvalho para que ela não inscreva a candidatura avulsa para a mesa diretora da Câmara Federal, conforme permite o regimento. É que o PSDB quer indicar para a vaga um membro da bancada paulista e a deputada rondoniense decidiu se insurgir contra a decisão da bancada. Na manhã desta terça-feira os grãos-tucanos estavam possessos com a ambição da deputada insurreta por uma vaga na mesa diretora da Câmara Federal.

DISPUTA – O deputado Federal Milton Capixaba (PTB), atual coordenador da bancada federal de Rondônia, adiantou à coluna que não pretende se engalfinhar numa disputa pela permanência no cargo por mais dois anos. Aceita, no entanto, ficar na coordenação desde que a maioria ou o consenso assim requisitem. O deputado federal Expedito Neto (PSD) já avisou que tem interesse na disputa. Embora os colegas peemedebistas sejam contra.

CANTO DA SEREIA – Mesmo sendo um dos raros prefeitos com administração aprovada e com competência para encarar qualquer outro cargo político, há setores interessados em inflar a bola do alcaide para que se coloque na disputa por um cargo majoritário. Na política nem sempre o critério de escolha é o meritório, pois os caciques sabem mexer no jogo com mais competência do que outros indiscutivelmente aprovados nas ruas. Uma lição do cacique mineiro Magalhães Pinto sempre está presente nas campanhas: “política é como nuvem”...

VESPEIRO – Não é segredo para ninguém que mexer na área da saúde pública é um vespeiro que exige do administrador público mais sensibilidade do que coragem. Há denúncias que muitos profissionais médicos não cumprem corretamente as horas exigidas no contrato de trabalho e que, não raro, outro cumpre o plantão no lugar daquele. É um verdadeiro vespeiro que possui raízes antigas, aliado a um corporativismo venal. No entanto, é preciso que as administrações enfrentem o problema sem usar meios retaliatórios ou mesmo grosseiros. No final de semana a coluna recebeu seis queixas de profissionais da saúde do município de Porto Velho que alegam ter sido supostamente maltratados pelo secretário adjunto da saúde, Cleveland Heron. Não se mexe em vespeiro com grosserias nem caça às bruxas, basta a lei. Algo elementar meu caro adjunto.

IPTU – Embora a Prefeitura Municipal da Capital tenha divulgado o desconto de 30% concedido aos mutuários que quitarem até hoje o Imposto Predial Territorial urbano (IPTU), nem todos receberam em casa seus carnês. Como nem todos os domicílios possuem internet. Não houve tempo hábil para que a meta da divulgação fosse atingida e, portanto, a prefeitura deveria esticar o prazo com o desconto por mais uns dias. Uma medida que aumentaria adesão e diminuiria a inadimplência. Especialmente em tempos de crise.

KAFKIANO – O processo aberto no TSE pelo PSDB para cassar a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer (PT-PMDB), aberto em 2014, antes do impeachment da ex-presidente, está pronto para ser votado pelo plenário do tribunal com chances de procedência. Como os tucanos fazem parte do atual governo pemedebista não possuem mais interesse no processo que poderá defenestrar Temer também da Presidência da República. Como diz o ditado popular: “o inimigo de hoje pode vir a ser a aliado de amanhã”. Idiota é quem briga em nome de nossos políticos.

Autor / Fonte: Robson Oliveira

Leia Também

Comentários