Ameron confia em relacionamento harmônico com a nova administração do TJRO

 

A nova diretoria do TJRO para o biênio 2018/2019 foi empossada na quinta-feira (7) sob os olhares do presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), desembargador Alexandre Miguel e também de autoridades e grandes personalidades do Direito. A mudança de gestão é vista com otimismo pela Associação.

No discurso de posse do novo presidente do TJRO, desembargador Walter Waltenberg da Silva Júnior, o presidente da Ameron, desembargador Alexandre Miguel, relembrou dos momentos em que ambos atuaram na comarca de Rolim de Moura durante a década de 90 e destacou o notável equilíbrio exercido pelo novo presidente do TJRO entre o reclamado espírito de independência em relação aos outros e o desejado espírito de humildade e desapego em relação a si mesmo.

Ainda na opinião do presidente da Ameron, a condução do desembargador Walter Waltenberg da Silva Júnior a cadeira da presidência deve manter a aproximação com a Associação e fortalecer a magistratura. “A nova administração sempre cria uma expectativa, o desembargador Walter Waltenberg é uma pessoa de bons conceitos, mente aberta e avançada e a magistratura sempre espera que haja uma administração do tribunal focada em melhorias. A própria Ameron tem uma diretoria que é voltada justamente para atender as necessidades institucionais e na medida do possível sugerindo para o Tribunal alguns avanços nessas questões. A magistratura está coesa e tranquila no sentido de supor que o novo presidente fará uma boa administração não só em prol da magistratura como também para o jurisdicionado”, declara o desembargador Alexandre Miguel.

Por outro lado, o novo presidente do TJRO terá como desafio administrar os recursos do Judiciário em meio as restrições orçamentárias que o país atravessa. O desembargador Walter Waltenberg da Silva Júnior tem experiência na administração da Justiça Eleitoral atuando como vice-presidente e Corregedor, mas o TJRO se torna uma novidade para o magistrado. “ O orçamento do TRE é muito reduzido e a folha de pagamento vem pronta da Justiça Federal, o que tem para gastar é em concessão de diárias, pequenas obras e reparos. Aqui é diferente, o orçamento é infinitamente maior e as necessidades também. Nós dependemos tanto da arrecadação do Estado como do Fundo de Edificação e Informatização do Judiciário e quando essa arrecadação cai, as nossas possibilidades diminuem. Estamos há anos sem reajuste salarial para magistrados, por exemplo, e praticamente não há reclamação porque compreendemos muito bem o momento que o país vive”, destaca.

Aumentar a receita do Judiciário é uma das tarefas que o novo Corregedor Geral da Justiça pretende trabalhar. “Vamos aumentar a possibilidade de arrecadação do Tribunal buscando um aumento dos serviços extrajudiciais pela administração. O TJRO está entre os mais céleres entre os tribunais de pequeno porte, mas caminhando para um tribunal de médio porte e isso deve ocorrer em breve”, ressalta o novo Corregedor, desembargador José Jorge Ribeiro da Luz.

Também foram empossados o novo vice-presidente do TJRO, desembargador Renato Martins Mimessi e dois novos membros do Conselho da Magistratura, desembargadores Raduan Miguel Filho e Daniel Ribeiro Lagos. O desembargador Paulo Kiyochi Mori será substituído na direção da Escola da Magistratura do Estado de Rondônia (Emeron) pelo desembargador Marcos Alaor Diniz Grangeia. “Tenho como missão dar continuidade ao excelente trabalho que já vem sendo desenvolvido e que acabou por qualificar nossa escola como uma das melhores do país. A Emeron possui um papel relevante e fundamental na qualificação profissional e permanente de magistrados e servidores”, finaliza o magistrado que terá como vice-diretor o juiz Guilherme Ribeiro Baldan.

Autor / Fonte: Assessoria/Ameron

Leia Também

Loading...